Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Viagem à África do Sul requer cuidados especiais


Por marciobasso 08/06/2010 - 11h29

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo decidiu fazer um alerta aos viajantes que acompanharão a Copa do Mundo na África do Sul para a importância da prevenção de doenças transmitidas por vetores e por água ou alimentos contaminados. Assim como toda viagem, esta também requer cuidados com a saúde.

Além das vacinas contra febre amarela e sarampo antes da viagem, cuidados extras devem ser tomados pelos turistas no local para evitar a ocorrência de outras doenças (veja algumas dicas abaixo).

Áreas de ecoturismo e safári são as mais propensas a picadas de insetos transmissores de doenças como a malária e febre amarela. Já nos centros urbanos a contaminação por água e alimentos é mais comum, podendo causar diarréia, desidratação, vômitos e dores no corpo. Por isso, recomenda-se dobrar a atenção ao sair para passeios ou fazer refeições

“Para algumas destas doenças transmitidas por vetores e água ou alimentos contaminados não existe vacina. Os cuidados preventivos são, sem dúvida, a melhor forma de combatê-las e evitar que a viagem seja uma grande dor de cabeça”, afirma Clélia Aranda, coordenadora de Controle de Doenças da Secretaria.

No site da Vigilância Epidemiológica Estadual (www.cve.saude.sp.gov.br) é possível acessar a lista completa de recomendações feitas àqueles que irão à África nesta Copa.

Alguns cuidados para evitar o contágio por doenças transmitidas por vetores e alimentação:

– Usar roupas longas que cubram a maior parte do corpo, calças por dentro das meias ou botas, camisas de mangas longas, de cores claras, e chapéus;

– Aplicar repelentes (seguindo as informações do fabricante) contra insetos e carrapatos nas áreas expostas do corpo. Não esquecer de aplicar atrás das orelhas e no pescoço, áreas geralmente ignoradas;

– Utilizar inseticida nos dormitórios;

– Hospedar-se preferencialmente em locais que disponham de ar condicionado, ventiladores ou telas de proteção nas portas e janelas;

– Lavar freqüentemente as mãos com água e sabão, principalmente antes das refeições e após utilizar o banheiro. Na impossibilidade de lavagem das mãos utilize álcool gel;

– Evitar ingerir água de origem desconhecida ou direto da nascente. Prefira água mineral engarrafada;

– Dar preferência a restaurantes ou lanchonetes indicados por agências de turismo, profissionais de hotéis ou guias locais. Evitar adquirir alimentos de ambulantes;

– Não ingerir alimentos que tenham permanecido em temperatura ambiente por mais de duas horas, preferindo pratos quentes e bem cozidos e/ou bem passados;

Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo