Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

EUA assumem possibilidade de calote histórico


Por marciobasso 28/07/2011 - 05h15

O presidente Barack Obama está fazendo todo o possível para se chegar a um acordo político que conduza ao pagamento da dívida pública norte-americana


O Tesouro dos Estados Unidos disse nesta quinta-feira que irá divulgar informações sobre como o governo vai determinar que contas pagará se o Congresso não chegar a um acordo para elevar o teto da dívida até 2 de agosto.
O Departamento disse que irá divulgar esses detalhes nos próximos dias sobre quais pagamentos são prioritários sobre outros. E acrescentou que, na segunda-feira, um dia antes do prazo final, vai realizar normalmente seu leilão de títulos com vencimento em três e seis meses.
O leilão deve vender US$ 87 bilhões em títulos e dinheiro será usado para liquidar a maior parte dos títulos públicos que vencem em 4 de agosto, no total de US$ 100 bilhões. A operação, segundo o Tesouro, não vai estourar o limite da meta de endividamento.
O teto da dívida americana, de US$ 14,3 trilhões, foi alcançado em maio, mas o governo dos Estados Unidos tem usado manobras para garantir as operações. Mas para essas brechas se encerra na próxima terça-feira, quando o governo ficará sem caixa para pagar todas as contas e a dívida.
O presidente democrata Barack Obama e os congressistas republicanos estão em um impasse sobre o teto da dívida e os planos para reduzir o deficit público americano nos próximos 10 anos. As discussões estão sendo conduzidas concomitantemente.
Atualmente, o Tesouro americano precisa tomar emprestado US$ 125 bilhões para fechar as contas todos os meses. Isso além dos US$ 500 bilhões de dívidas que vencem e precisam ser refinanciadas no mesmo período.
OTIMISMO
A Casa Branca afirmou nesta quinta-feira que continua otimista quanto à possibilidade de alcançar um compromisso com os congressistas sobre o aumento do limite da dívida pública federal, com o objetivo de evitar que o país se declare em default (suspensão de pagamentos).
“Continuamos acreditando e estamos otimistas que o Congresso manterá a razão (…) e que alcançará um compromisso”, afirmou o porta-voz Jay Carney aos jornalistas.
“Nosso objetivo primeiro é proteger a economia e proteger os americanos dos danos econômicos”, disse. “Se todos tivermos esse objetivo em mente, o compromisso será fácil.”
IMPASSE
Democratas e republicanos estão em um impasse sobre o limite do país da dívida. Sem um acordo até dia 2 de agosto, o governo dos EUA corre o risco de ficar inadimplente em algumas das suas obrigações relacionadas à dívida, porque deve ultrapassar o teto de US$ 14,3 trilhões.
Negociações entre o presidente americano, Barack Obama, e o líder da Casa dos Representantes (Câmara dos Deputados), o republicano John Boehner, ainda não conseguiram romper o impasse a respeito do tema.
Analistas afirmam que o calote da dívida americana poderia provocar um salto da taxa de juros nos EUA e potencialmente ameaçar a recuperação econômica mundial.
 Fonte: www.folhaonline.com.br