Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Rota e Força Tática vão coibir furtos de caixas eletrônicos


Por marciobasso 03/06/2011 - 10h45

A Polícia Militar vai reforçar o policiamento nos caixas eletrônicos com tropas especializadas e mais preparadas para situações de confronto, como as Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e a Força Tática. Além disso, pedirá ao Tribunal de Justiça Militar (TJM) para que os policiais que cometam crimes comuns, como os furtos de caixas eletrônicos, não cumpram mais pena no Presídio Romão Gomes, da PM, que possui ISO 9001, e abriga crimes atrelados ao serviço militar, e sim em presídios comuns.
As ações foram anunciadas na manhã desta quinta-feira (02) pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Álvaro Batista Camilo, em entrevista coletiva juntamente com o coronel Danilo Antão Fernandes, subcomandante da PM, e do corregedor da corporação, coronel Sérgio Luiz dos Santos.
Segundo o coronel Camilo, 26 policiais militares são investigados por envolvimento em quadrilhas especializadas em furtos de caixas eletrônicos. Desses, nove já estão presos: quatro foram detidos pelo Departamento de Investigações sobre Crime Organizando (Deic) em cumprimento de ordem judicial; três foram presos em flagrante pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) no bairro do Jabaquara, zona sul da Capital, no último final de semana; e outros dois PMs também foram presos em flagrante na região de Franca, nessa segunda-feira (1º), quando um dos integrantes da quadrilha, perseguido pela polícia, se escondeu na casa de um policial.
Reforço especializado
Desde terça-feira (31), 80 policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) mudaram o horário de serviço para intensificar o policiamento durante a madrugada em toda a Capital, Grande São Paulo e interior, em locais que já foram mapeados pela polícia, para que exista mais ronda onde estão os caixas eletrônicos. Pelotões de Força Tática de todos os batalhões também vão intensificar o policiamento nos caixas eletrônicos durante a madrugada.
Os policiais, que normalmente trabalham no período das 10h às 22h, entrarão às 15h e ficarão em serviço até as 3h, visando aumentar o policiamento nos caixas eletrônicos durante a madrugada e evitar as ações dos criminosos.
O comandante-geral reiterou que os policiais envolvidos nos ataques, em qualquer situação, seja por envolvimento, ação, omissão ou cobertura, responderão pelo crime. “Continuaremos sendo implacáveis com os desvios de conduta”, afirmou.
Desde abril de 2009, a Polícia Militar afastou 523 policiais, resultando em 358 expulsões e 165 demissões. Desses, 127 foram presos em flagrante. Nesses dois anos, 19 mil processos administrativos e disciplinares foram instaurados.
O coronel estimulou a população a ligar para o Disque-Denúncia, pelo telefone 181, ou para o Copom 190, da Polícia Militar, para denunciar os policiais que “estejam fazendo coisas erradas”.
A corporação apoiou a decisão do Banco Central de recusar as notas manchadas com tinta rosa, vinda de dispositivos de segurança instalados nos caixas eletrônicos. Também já solicitou à Federação Brasileira de Bancos (Febraban) a diminuição, na medida do possível, da quantidade de dinheiro disponível nos caixas, bem como a melhor localização dos caixas eletrônicos, levando em conta não somente a acessibilidade, mas também a segurança.
Camilo finalizou afirmando que “vão acontecer quantas prisões forem necessárias para a depuração interna”. Para o coronel, “esse bandido não é um policial, ele é um bandido comum e será tratado como tal”.

Cristiane Novais