Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

ONG arrecada duas toneladas de material reciclável


Por marciobasso 27/07/2010 - 03h17

Duas toneladas de materiais recicláveis como papel e garrafas PET foram doados pela ONG Noolhar para catadores que trabalham com a coleta seletiva do lixo. O espaço da Organização situado na travessa Riachuelo, no centro comercial de Belém, se transformou em um grande Ponto de Entrega Voluntária (PEV) depois de diversas ações em educação ambiental realizadas pela Noolhar.
Todos os materiais doados, fazemos uma seleção do que é aproveitável. Capas para puff’s e o óleo de cozinha para produzir os sabões, por exemplo. O que não dá para aproveitar entregamos para as cooperativas e associações, que vendem e geram renda para as suas famílias, diz Marcos Wilson, presidente da Noolhar.
Ele conta que a grande quantidade de matérias recolhidos, é mérito da população. É um trabalho de formiguinha. É grande a quantidade de pessoas que deixam o seu material reciclável aqui na Noolhar. Quando chega em um ponto máximo de armazenamento, nós doamos, diz. Marcos observa que o numero de doações de materiais recicláveis feito pela população de Belém, tem aumentado consideravelmente em relação ao ano passado. O volume de doações está cada vez maior. A entrega voluntária está aumentando. Com isso, o tempo de coleta reduziu. No ano passado ficávamos até noventa dias para juntar esse volume (duas toneladas). Agora tivemos essa quantidade em apenas um mês, ressalta.
Além da sociedade estar mais consciente sobre a reciclagem, segundo Marcos, órgãos públicos e empresas também fazem a sua parte em proteção ao meio ambiente e doam para a ONG materiais recicláveis como a Polícia Civil, que entrega para reciclagem o papel, a Marinha que entrega o seu óleo de cozinha para ser transformado em sabão e a Sol Informática que doa banners que viram mochilas e bolsas. Outro exemplo foi o colégio Adventista, que realizou uma campanha entre seus alunos e conseguiu arrecadar mil garrafas PET que foram entregues à Noolhar.
Estamos nos surpreendendo com as pessoas. Isso é um reflexo de conscientização. As pessoas estão aderindo cada vez mais não deixando o lixo ir para o lixão do Aurá. Elas estão destinando o lixo em casa de maneira correta e levando até a Noolhar. Tudo chega aqui separado, afirma. Marcos relembra que todo este trabalho gera renda para famílias que vivem da catação. Eles (catadores) não tiveram que ir para o Aurá catar este materiais de forma desumada para vender. Nós separamos para eles e entregamos já para ser vendido. Aos poucos, nós vamos tirando as pessoas do lixão, de forma alternativa, e ainda agregando renda, finaliza.
Catadores lucram com a coleta seletiva
O beneficiado pela entrega do material foi a Associação dos Catadores da Águas Lindas que recebeu papéis e garrafas PET. Tudo foi vendido para uma empresa que compra materiais recicláveis. Apenas de papel, cerca de 800 kg foram vendidos. Todo o lucro foi repartido para 10 pessoas que trabalham diretamente com a catação e estão ligadas à Associação.
Este é o sustento destas famílias, afirma Marcelo Rocha, presidente da Associação. Ele trabalha há 28 anos com a coleta de materiais recicláveis. “Nós fazemos um trabalho para o planeta. A sociedade não conhece o que pode gerar renda para famílias carentes, diz. Esta foi a segunda doação de materiais recicláveis que a Associação recebeu da Noolhar.
A primeira doação foi há um mês no projeto Conexão VIVO, onde a ONG Noolhar realizou um trabalho de educação ambiental e atuou com o apoio dos catadores para recolher cerca de uma tonelada de materiais recicláveis desperdiçado pelo publico do evento, como as garrafinhas de água e latinhas de refrigerante.
Esse material não é lixo, mas a sociedade joga no lixo. Todos lucram com a reciclagem. A coleta seletiva gera saúde. Nós (catadores) ganhamos financeiramente, para sustentar nossas famílias, e a sociedade ganha quando você descarta corretamente, enfatiza Marcelo.
A ONG Noolhar aceita doação de materiais recicláveis em sua oficina, que fica na travessa Riachuelo, nº 37, de esquina com a Padre Eutíquio. Telefone: (91) 3222-2277.

Fonte: Noolhar