Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Lei antifumo completa 3 anos e muda antigos hábitos de ex-fumantes


Por marciobasso 06/08/2012 - 07h41

Na terça-feira (7), a lei antifumo completa 3 anos de vigência no Estado de São Paulo. A lei que proíbe o fumo em locais fechados de uso coletivo como bares, restaurantes e danceterias, provocou polêmica no início, mas hoje em dia, mudou hábitos antigos e tem boa aceitação mesmo entre os fumantes.
Os índices mostram que no período de vigência da lei, a fiscalização aos estabelecimentos também não deu trégua. No Vale do Paraíba, foram 56.321 locais visitados pelos agentes do Procon e da Vigilância Sanitária desde 2009. Destes, apenas 81 autados em desacordo com a legislação. A adesão à lei foi de 99,7% segundo a Secretaria da Saúde.
Os reflexos da lei antifumo em São José dos Campos vão desde a redução do tabagismo entre os frequentadores destes locais, chegando inclusive até àqueles que abandonaram o vício de vez.
“O que aconteceu foi um cerco aos fumantes, aí aproveitei e já parei de fumar logo. Eu fumava mais em bares e baladas, mas com a dificuldade em ter que sair para poder fazer isso, acabei tendo uma preguiça saudável e desistindo do vício”, contou ao G1, o consultor Athiê Benevenuto, de 24 anos.
Opinião semelhante tem também os fumantes. “Fumo, mas sou totalmente a favor da lei. Dependendo do lugar em que estou, até evito de fumar”, declarou o engenheiro Alessandro Santos, 28 anos, enquanto fumava na área externa do Bar e Restaurante Coronel, na região central de São José.
Para o comprador Luciano Cândido dos Santos, de 40 anos, a lei representa um avanço. “Sou fumante, mas se aqui dentro fosse permitido fumar, todos estariam fumando: quem fuma e os demais, por conta da fumaça”, afirmou.
Início
No bar Gogó da Ema, o gerente Leonardo Silva Câmara, relembrou o início da vigência do cerco aos fumantes. “Não há como negar que no começo houve um certo incômodo, mas hoje estão todos bem adaptados e sabem das regras”, contou Câmara.
No local, no bairro Vila Ema, uma mesa foi adaptada para os fumantes fora do bar, mas poucos a utilizam segundo o gerente. “As pessoas evitam ir lá porque acabam ficando em evidência. Ali é para quem fuma mesmo”, disse.
Na noite da última sexta-feira (3), a professora Maria Aparecida Feury, 66 anos, que fuma em média um maço de cigarro por dia, elogiou a iniciativa. “Hoje careta é fumar. Não fumo nem dentro da minha casa, vou fumar aqui e obrigar todo mundo a respirar a fumaça?”.
Pesquisa
Uma pesquisa divulgada no ano passado pela Secretaria da Saúde mostrou que houve redução no número de fumantes na capital paulista, que seria segundo a pasta, reflexo da lei antifumo. A queda foi de 31% entre 2009 e 2010.
A multa aplicada pelo descumprimento da lei antifumo é de R$ 922, mas dobra em caso de reincidência. Caso o estabelecimento desrespeite a determinação pela terceira vez, é interditado por 48 horas. Na quarta vez, ele é fechado por 30 dias.
Fonte: http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2012/08/lei-antifumo-completa-3-anos-e-muda-antigos-habitos-em-sao-jose.html