Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Ditador norte-coreano, Kim Jong-il, morre aos 69 anos


Por marciobasso 19/12/2011 - 11h38

O ditador norte-coreano, Kim Jong-il, morreu no último sábado (17) aos 69, segundo informou nesta segunda-feira a televisão estatal do país comunista, a KCTV.
Em uma transmissão especial, a emissora informou que Kim morreu às 8h30 locais (21h30 de sexta-feira em Brasília) durante uma viagem de trem, vítima de um “problema cardíaco” devido a uma “grande tensão física e mental”.
A emissora de notícias sul-coreana YTN, por sua vez, atribuiu a morte de Kim a um infarto do miocárdio.
Segundo informações da informou a agência oficial KCNA, o filho mais novo do ditador, Kim Jong-un, irá sucedê-lo no comando do estado comunista.
Kim Jong-un, que teria cerca de 30 anos de idade, já havia consolidado sua posição como futuro líder da Coreia do Norte em setembro do ano passado, quando foi nomeado publicamente general de quatro estrelas e vice-presidente da Comissão Militar Central do Partido dos Trabalhadores.
Especulações sobre o estado de saúde do ditador norte-coreano já vinham ocorrendo há algum tempo. Acredita-se que Kim tenha sofrido um derrame em 2008, no entanto, ele tinha aparecido relativamente saudável em fotos e vídeos em viagens recentes à China, à Rússia e pelo país.
Pouco depois do anúncio da morte de Kim, a Coreia do Sul colocou suas Forças Armadas em “alerta máximo” e o presidente do país, Lee Myung-bak, convocou uma reunião do conselho de segurança nacional.
FUNERAL
O funeral do ditador irá ocorrer no próximo dia 28 em Pyongyang, segundo informou a KCNA.
O país comunista permanecerá de luto até um dia mais tarde, 29 de dezembro, acrescentou a agência.
A KCTV, por sua vez, informou que o corpo do ditador será enterrado no Palácio Memorial de Kumsusan, onde também fica o mausoléu de seu pai, Kim Il-sung.
PERFIL
Kim Jong-il estava à frente da dinastia comunista hereditária norte-coreana há 17 anos, nos quais governou com mão de ferro um regime baseado no culto à personalidade.
O ditador era visto no Ocidente como um líder de perfil excêntrico. Analistas advertiam no entanto que se tratava de um homem muito hábil e um grande estrategista.
Kim costumava ser ridicularizado por seus hábitos de playboy, sua cabeleira e seus sapatos de salto alto (para compensar a baixa estatura), mas essa imagem seria equivocada ou enviesada. Pária no resto do mundo, o ditador é visto “como um Deus” no país e é chamado de “querido líder”.
Kim Jong-il é o primogênito de Kim Il-Sung, fundador da Coreia do Norte comunista e idolatrado no país. Segundo a propaganda oficial, quando Kim Jong-il nasceu, em 16 de fevereiro de 1942, surgiram no céu uma estrela e um arco-íris duplo. Desde então, o monte Paekdu, onde teria nascido, é um lugar sagrado.
Vários analistas, porém, acreditam que ele nasceu num campo de treinamento guerrilheiro russo, a partir de onde seu pai empreendeu a guerra de resistência contra o Japão, até 1945.
Após obter um diploma universitário, em 1964, Kim começou a fazer carreira dentro do Partido dos Trabalhadores. Suas funções incluiriam a organização de atentados, como a explosão de um avião da Korean Airlines, em 1987, que matou 115 pessoas. Ele assumiu o controle do Partido dos Trabalhadores em 1994, no ano da morte do pai.
Fonte: www.folha.com.br

Kim Jong-il, à esquerda, acompanhado pelo filho, Kim Jong-un durante parada militar em outubro de 2010 - Associated Press