Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Dilma Rousseff falta à debate de TVs católicas


Por marciobasso 24/08/2010 - 09h04

A candidata Dilma Rousseff (PT) não participou do primeiro debate presidencial realizado na noite desta segunda-feira, 23 de agosto, pelas TVs Canção Nova e Aparecida, o primeiro realizado por TVs católicas, mas foi o principal alvo dos rivais José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL). Principal adversário da petista, Serra aproveitou para atribuir a ausência de Dilma a eventual dificuldade que ela teria para explicar o apoio do PT ao polêmico Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3), fortemente criticado pela Igreja Católica.
A candidata do PT foi também alvo frequente das estocadas de Plínio. O socialista, que mais uma vez arrancou risos da plateia com suas ironias, usou sua primeira participação no debate para denunciar a adversária, e a certa altura entregou a candidata petista: “Ali naquela cadeira deveria estar a pessoa que deveria estar aqui defendendo o PNDH-3. Sabe o que ela está fazendo? Está tuitando”, disse Plínio em referência a Dilma, arrancando aplausos da plateia.
Ao longo do debate, Marina foi a única que procurou se distanciar da polêmica com Dilma. No entanto, a candidata verde foi pressionada a esclarecer porque defende um plebiscito sobre o aborto apesar da posição contraria à intervenção. Marina disse não ver incoerência na sua postura e pediu que questões polêmicas como essas não seja “satanizadas”.
Apesar dos vínculos históricos com a Igreja Católica, Plínio de Arruda Sampaio defendeu a maioria dos pontos presentes no PNDH-3, dizendo inclusive discordar de posicionamentos da Igreja em certos aspectos. Já o candidato José Serra foi o mais crítico com relação ao PNDH.
Os dois também bateram de frente ao defender mudanças no sistema prisional. Plínio defendeu a proposta de penas não-prisionais. Serra se disse também simpáticos às penas alternativas e defendeu que se construam mais presídios no País. Plínio viu ‘incoerência’ de Serra na proposta.
O candidato socialista voltou a polemizar com Marina, insistindo que a candidata do PV é ‘eco-capitalisata’. A candidata se irritou com a ironia do socialista e afirmou que não é possível esperar pelo socialismo para combater a mudança climática.
Fonte: André Mascarenhas e Jair Stangler