Rede Novo Tempo de Comunicação

Reavivados por Sua Palavra – Rádio

Salmo 106

Reavivados por Sua Palavra


Por Rádio NT 18/05/2020 - 02h30
00:00
00:00
Volume
Velocidade

Olá meu querido irmão, minha querida irmã em Cristo, você que gosta de meditar sobre as Escrituras Sagradas, é um prazer muito grande poder falar mais um pouquinho aqui com você sobre as preciosidades da Santa Bíblia e do que Deus tem a nos ensinar, dentro desse projeto Reavivados Por Sua Palavra, hoje com o salmo 106, né. Meu amigo, se você observar bem o salmo cento e seis, você vai ver que ele é parecido com o setenta e oito, porque ele também descreve a história de Israel depois do êxodo, que vai se alternando entre a bondade e o poder do Senhor e a infidelidade e a fraqueza do povo escolhido.

E porque é que a composição desses salmos foi preservada? Por causa da esperança inesquecível que aquele povo tinha, e também por causa da fé irreprimível no Deus da aliança, que eles precisavam ter, e que nós precisamos ter. Fé que alcança a graça, meu querido irmão. Daí você pode pensar assim: tá, pra nós tudo bem? Mas graça para aquele povo no tempo do antigo testamento? A graça não foi dada depois de Cristo? Não, meu irmão, não. O Salmo 106 fala exatamente da graça de Deus em face da ingratidão do povo dEle.

Ta puxado, pra entender, não ta? Pois é. Isso é só o começo. Sua cabecinha vai se esquentar mesmo é quando você se debruçar por cima desse salmo, pra estudá-lo. Ta pensando que salmos são apenas lindos poemas, textos romantizados, aguinha com açúcar? Não. Nos salmos também tem grandes lições teológicas e profundas pra serem aplicadas na nossa vida. Então, meu querido, faça a sua leitura de hoje, aprenda bastante sobre como é que a graça de Deus opera mesmo quando nós somos ingratos, e assim, tenha sua fé aumentada no Senhor.

Porque esse é o nosso objetivo. Quando eu tiro esse meu tempo para fazer esse comentário aqui, não é esperando que você fique apenas com esse conteúdo. Não. Meu objetivo é que você leia, e estude, a palavra de Deus, tá certo? Um abraço, Pr. Valdeci Jr.