Rede Novo Tempo de Comunicação

Reavivados por Sua Palavra – Rádio

Números 04

Reavivados por Sua Palavra


Por Rádio NT 14/05/2022 - 02h00
00:00
00:00
Volume
Velocidade

Hoje, 14 de Maio de 2022, é dia de você ler Números capítulo 4. E sabe, meu querido amigo ouvinte, esse capítulo de hoje nos traz a reflexão sobre a necessidade de proteger o que é sagrado. O teólogo Frank Holbrook, em seu comentário bíblico “O povo a caminho”, comenta que pelo estabelecimento do sistema de adoração no Sinai, Deus escolheu uma família de levitas para atuar como sacerdotes, e que esse trabalho foi registrado em Números 4. Moisés tinha consagrado Arão como sumo sacerdote e seus quatro filhos – Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar – como sacerdotes assistentes. O restante da tribo de Levi ajudaria os outros mas não atuaria como sacerdotes. É óbvio que todos os levitas em condições de trabalhar tinham seu lugar e serviço, trabalhando harmoniosamente para preservar e proteger a santidade do sistema de adoração de Israel. 

E, sem dúvida, os levitas receberam uma responsabilidade solene. O mesmo tinha acontecido com os filhos de Arão, que atuariam como sacerdotes diante do Senhor no tabernáculo. Pense no que eles foram chamados a fazer. O próprio Senhor, o Criador, tinha revelado Sua presença entre eles no santuário, lembrança poderosa para eles de que sua segurança só existia nEle, aquele que os havia libertado do Egito. Esses sacerdotes eram os mediadores entre um Deus santo e o povo caído. Evidentemente, em seus papéis, eles também eram símbolos de Jesus, nosso verdadeiro Sumo Sacerdote no santuário celestial. 

Mas daí, buscando informações históricas além do capítulo de hoje, né, o que aconteceu de estranho no santuário? Tá lá em Lv 10:1-11. E que lições existem para nós, hoje? É, amigo ouvinte, é difícil imaginar que aqueles jovens, a quem havia sido dada responsabilidade tão sagrada e que já haviam recebido tanto, violassem tão abertamente uma ordem expressa de Deus. Por mais duro e severo que nos pareça seu castigo, ele só destaca a realidade de quão sagrada tinha sido a responsabilidade que lhes fora atribuída. Sem dúvida, outros entenderam a mensagem de quão seriamente o Senhor esperava que Seus mandamentos a respeito do santuário fossem cumpridos. 

O livro Evangelismo, na página 639, explica que lidar com coisas sagradas da mesma forma que fazemos com os assuntos comuns é uma ofensa a Deus; pois é santo aquilo que Ele separou para fazer Seu serviço em levar a luz ao mundo. Os que mantêm qualquer ligação com a obra de Deus não devem andar na vaidade de sua própria sabedoria, mas na sabedoria divina, do contrário estarão em risco de pôr no mesmo nível as coisas sagradas e as comuns, separando-se, assim, de Deus. 

E a pergunta que fica pra gente hoje é a seguinte, meu irmão. Como é que nós hoje podemos distinguir entre o santo e o comum, entre o puro e o impuro? 

Você concorda comigo que pra conseguir isso é preciso estar numa sintonia muito fina com Deus? E como é que nós podemos buscar isso? Lendo Sua Santa Bíblia, e ficando mais Reavivados Por Sua Palavra. Você concorda? Amém.