Rede Novo Tempo de Comunicação

Reavivados por Sua Palavra – Rádio

Levítico 19

Reavivados por Sua Palavra


Por Rádio NT 02/05/2022 - 02h00
00:00
00:00
Volume
Velocidade

Olá meu querido amigo ouvinte, dessa rádio maravilhosa, obrigado por estar aqui com a gente no Reavivados Por Sua Palavra, que hoje, dia 02 de Maio, nos orienta a lermos o capítulo dezenove do livro de Levítico. Tudo bem com você? Eu espero que sim. 

Meu irmão, hoje eu quero apresentar aqui pra você o comentário de Levítico 19 escrito pelo pastor Heber Toth Armí, no qual ele trabalha o assunto da santidade. Eu achei interessante, porque esse autor, ele pontua que santidade não depende de comportamento. Santidade depende do sacrifício de Cristo e Seu sangue derramado por, e, em nós, para remissão/eliminação dos nossos pecados. Aceitando de fato tal sacrifício, a vida será pautada pela santidade (vs. 1-2). 

Salvação sempre foi, e continua sendo, unicamente pela graça divina; o livro de Levítico deixa tal verdade absolutamente clara aos que estão atentos às sequencias da Palavra de Deus nele. 

Após apresentar pedagógica, simbólica e didaticamente o plano de purificação que resulta em libertação do pecado e em salvação (Levítico 16), Deus apresentou-nos (nos capítulos seguintes) a forma de vida daqueles que, sinceramente, entregam-se completamente ao Seu serviço. 

Síntese do capítulo 19: 

1. A santidade requer não só respeito aos pais e idosos, guarda do sábado, rejeição total à idolatria, mas também dependência radical no sacrifício de Cristo apontado pela morte de inocentes animais (vs. 3-8, 30, 32). 

2. A santidade requer preocupação com pessoas desprovidas de recursos para viver: pobres, mendigos, órfãos, etc. (vs. 9-10). 

3. A santidade requer conduta correta: Não roubar, mentir, enganar, jurar em vão, explorar, extorquir, amaldiçoar, trapacear, zombar, perverter, fofocar, injuriar, negligenciar socorro, guardar rancor ou vingar-se, prostituir-se (vs. 11-18, 29, 33-37). O amor será a regra áurea de todo relacionamento! 

4. A santidade requer respeito aos imperativos divinos: Não cruzar espécies diferentes de gado, não plantar espécies diferentes na lavoura, nem vestir roupas com dois tipos de materiais (v. 19). 

5. A santidade requer reparo quando se pratica imoralidade. Deus promete perdão a quem O buscar (vs. 20-22). 

6. A santidade requer respeito à flora. Nos três primeiros anos, árvores frutíferas não seriam comestíveis; frutos do quarto ano seriam ofertadas a Deus; e, do quinto ano resultariam grandes bênçãos, somente neste ano seus frutos seriam comestíveis na terra prometida (vs. 23-25). 

7. A santidade preza por vida descente em cada aspecto: Não comer carne com sangue; nem praticar mágicas/adivinhações/horóscopo, ocultismo/espiritismo/necromancia/médiuns; não cortar o cabelo dos lados da cabeça nem as pontas da barba, nem fazer corte no corpo pelos mortos, nem tatuagem – estes são costumes pagãos/idólatras (vs. 26-28, 31). 

Conversão a Cristo que não resulta em santidade não passa de mera fantasia; esta religiosidade pauta-se pela falsidade, clara hipocrisia! 

Então, meu querido amigo ouvinte, o meu apelo a você, e a mim também, é que nós precisamos desprezar o pecado para prezar pela pureza, porque Deus quer nos transformar! 

Tá certo? Eu sou o pastor Valdeci Júnior, e desejo a você um dia muito feliz e abençoado na companhia do nosso Deus nosso criador e nosso redentor.