Rede Novo Tempo de Comunicação

legenda

Rede Novo Tempo de Comunicação

Açúcar no sangue está associado ao envelhecimento cognitivo


Por marciobasso 29/06/2012 - 01h19

Manter os níveis de açúcar, mesmo na ausência de doenças, pode ser uma importante estratégia para preservar a saúde cognitiva, sugere estudo publicado por pesquisadores da Columbia University Medical Center (CUMC).
As descobertas sugerem que exercitar-se para melhorar os níveis de açúcar no sangue pode ser uma maneira de as pessoas adiarem o declínio cognitivo normal que vêm com a idade.
“Isto é novidade mesmo para pessoas sem diabetes já que os níveis de glicose no sangue tendem a aumentar à medida que envelhecemos. Seja por meio de atividade física, dieta ou medicamentos, nossa pesquisa sugere que melhorar o metabolismo da glicose pode ajudar-nos a prevenir o declínio cognitivo que ocorre em muitos de nós à medida que envelhecemos”, afirmou o principal pesquisador Scott A. Small, M.D., professor associado de neurologia na Sergievsky Center e no Taub Institute for Research on Alzheimer’s Disease and the Aging Brain at Columbia University Medical Center.
Embora seja amplamente sabido que os estágios iniciais da doença de Alzheimer causem danos ao hipocampo, área no cérebro que é essencial à memória e aprendizado, estudos têm sugerido que ele também seja vulnerável ao envelhecimento normal. Até agora, as causas subjacentes à disfunção do hipocampo permanecem desconhecidas.
Anteriormente, usando imagens cerebrais de alta resolução, Dr. Small e colegas descobriram que a diminuição da função cerebral em uma área do hipocampo, chamada girus dentado, é a principal responsável para o declínio normal da memória com o envelhecimento.
Neste novo estudo, os pesquisadores mapearam áreas específicas do hipocampo impactadas por doenças tardias como diabetes e derrame. Diversas variáveis que normalmente mudam com a velhice, como aumento do açúcar no sangue, índice de massa corporal, níveis de insulina e colesterol, foram examinadas. A pesquisa descobriu que a diminuição da atividade do girus dentado está correlacionada apenas com os níveis de glicose no sangue.
“Além da conclusão óbvia que prevenir doenças tardias beneficia o envelhecimento do hipocampo, nossas descobertas sugerem que manter os níveis de açúcar no sangue, mesmo na ausência de diabetes, pode ajudar a manter aspectos da saúde cognitiva. Mais especificamente, nossas descobertas predizem que qualquer intervenção que cause um decréscimo da glicose no sangue deve aumentar a função do girus dentado e, portanto, benéfico cognitivamente”, disse Dr. Small.
As novas descobertas também sugerem que uma maneira com que a atividade física melhora a memória é por meio da redução dos níveis de glicose. Estudos anteriores realizados em humanos e camundongos por Dr. Small mostra que dentre todas sub-regiões do hipocampo, a atividade física causa progressos na função da girus dentado.
Fonte: Annals of Neurology.